Passageiros aprovam conforto, mas criticam falta de segurança em BRTs

0
10

Conforto, acessibilidade e estado de conservação dos ônibus. Esses foram alguns dos itens aprovados por usuários do sistema Bus Rapid Transit (BRT), segundo pesquisa do Grande Recife Consórcio de Transporte. Os elogios, no entanto, não se estendem à segurança pública. Para muitos passageiros, a falta de policiamento nos coletivos e das estações é um problema constante e capaz de assustar quem depende do modal na Região Metropolitana do Recife (RMR).

De acordo com o levantamento, realizado em abril, 70,7% dos passageiros avaliam o meio de transporte de forma positiva, como excelente, ótimo ou bom. Foram levados em conta itens como estado das estações, tempo de espera dos veículos, itinerários e integração entre terminais. Por outro lado, 29,15% dos entrevistados consideram péssima a segurança dentro e fora dos coletivos e estações.

Os recentes casos de assaltos nos ambientes em que os passageiros aguardam as linhas e a ausência de policiamento acentuam o medo dos usuários do modal. “A criminalidade é tremenda. Não vejo segurança em nenhuma das estações por onde passo”, reclama a doméstica Elione Guedes, que usa o BRT diariamente para ir de Olinda ao centro do Recife.

A diarista Ana Digna já ouviu vários relatos de assalto se sente insegura nas estações de BRT  (Foto: Marina Meireles/G1)A diarista Ana Digna já ouviu vários relatos de
assalto se sente insegura nas estações de BRT
(Foto: Marina Meireles/G1)

A diarista Ana Digna nunca foi assaltada nas estações, mas conhece pessoas que já passaram pelo sufoco. “Na semana passada, uma amiga minha comentou que foi assaltada. Faz medo ficar nessas estações com pouca gente”, teme a passageira, referindo-se à Estação Bultrins, em Olinda. No último mês de junho, o local foi palco da ação de bandidos, que assaltaram outras oito estações no município no mesmo dia.

De acordo com o Grande Recife, as estações são guardadas das 17h às 5h por seguranças patrimoniais de uma empresa privada.  Ainda há uma parceria com a Polícia Militar, responsável pela Operação Transporte Seguro, responsável pela prisão de suspeitos de assalto a ônibus.

Além da segurança, o levantamento do Grande Recife Consórcio de Transporte abordou itens como espaço interno do ônibus, condução e postura do motorista e tempo de espera nas estações. Para esses quesitos, os 940 entrevistados, em sua maioria, fizeram avaliações positivas: 61,78% dos participantes classificaram como boa a conservação dos BRTs e outros 62,02% deram a mesma classificação para itens como climatização, bancos, ruído e vista da janela.

Passageiros de linhas de BRT que trafegam pela PE-15 se sentem inseguros devido à falta de policiamento (Foto: Marina Meireles/G1)Passageiros de linhas de BRT que trafegam pela PE-15 se sentem inseguros devido à falta de policiamento (Foto: Marina Meireles/G1)

“Não tenho como reclamar do conforto. Os BRTs são bons, têm ar-condicionado e normalmente uso em horários em que eles não estão lotados. O problema é que tenho que andar muito para pegar o ônibus. Se todas as estações estivessem prontas, facilitaria muito a minha vida”, comenta a operadora de caixa Anete Cândido. Apesar de não transitar com frequência pelo centro do Recife, a moradora dos Bultrins economizaria tempo para ir e voltar para Olinda caso as estações da Avenida Conde da Boa Vista estivessem prontas.

A doméstica Elione Guedes também pouparia tempo caso as obras da Conde da Boa Vista estivessem concluídas. “Eu tenho que ir até as paradas sem segurança do Parque 13 de Maio ou da Avenida Cruz Cabugá quando estou chegando ou saindo do trabalho. Se as da Boa Vista estivessem prontas, seria muito melhor para mim”, pontua. Iniciadas em fevereiro de 2014, as obras no Centro do Recife ainda não foram finalizadas e, atualmente, o que se vê no local são espaços sem coclusão e vandalizados por pichações.

Obras inacabadas
De acordo com a Secretaria Estadual das Cidades (Secid), a pasta está concluindo uma pesquisa sobre a avenida para acompanhar a demanda de passageiros de 53 das 76 linhas de ônibus que trafegam pela via, e, assim, encontrar uma solução para impasses existentes. A Secid não informou qual o prazo de conclusão da pesquisa.

terminal III perimetral recife (Foto: Thays Estarque/G1)Terminal da III Perimetral, no Recife, está
inacabado (Foto: Thays Estarque/G1)

As estações da Conde da Boa Vista integram o projeto dos corredores Leste/Oeste, que liga o Terminal de Integração (TI) de Camaragibe até a Praça do Derby e se prolonga até a Avenida Guararapes, no Centro do Recife. Das 26 estações previstas, 11 ainda não foram entregues e, até agora, o investimento no corredor foi de R$ 136,5 milhões.

Entre as obras inacabadas também estão a estação Benfica, a estação elevada e viaduto do Bom Pastor e terminais da III e IV Perimetral, na Avenida Caxangá. De acordo com a Secid, todas as obras estão encaminhadas e vão passar por licitações segmentadas, que têm previsão de início em julho de 2016.

No caso do Corredor Norte/Sul, que passa pelas cidades de Igarassu, Abreu e Lima, Paulista, Olinda e Recife, 26 das 28 estações já foram entregues. Entre as obras mais recentes entregues à população estão as estações São Francisco e Complexo de Salgadinho e o TI Abreu e Lima, inaugurado no último mês de junho. Ao todo, o Corredor Norte/Sul já recebeu um investimento de R$ 156 milhões.

Novo Terminal Integrado de Abreu e Lima entrou em operação neste sábado (18) (Foto: Danielle Fonseca/TV Globo)Novo Terminal Integrado de Abreu e Lima entrou em operação no mês de junho de 2016 (Foto: Danielle Fonseca/TV Globo)

 

Fonte G1

SEM COMENTÁRIOS